Home » , , , , » Cidade de Blumenau é tema poético em textos do catarinense Marcelo Labes, no livro “Enclave”

Cidade de Blumenau é tema poético em textos do catarinense Marcelo Labes, no livro “Enclave”

Por: J. B. Novare Em: 19/02/2018

“Enclave” é o título do terceiro livro de poemas do autor catarinense Marcelo Labes. O livro, com 96 páginas, foi publicado pela Editora Patuá e terá o seu lançamento nesta sexta-feira, dia 23 de fevereiro, na Patuscada - Livraria, Bar & Café (Rua Luís Murat, 40 - Alto Pinheiros), às 19 horas, em São Paulo/SP. A entrada será livre. Outros lançamentos estão previstos para as cidades catarinenses de Blumenau, Chapecó, São Miguel do Oeste e Xanxerê, em março, e na capital Florianópolis e Porto Alegre/RS, em abril.

Enclave é um território de um país que está dentro de outro. Acontece com Cabinda, que pertence a Angola mas que está integralmente dentro do Congo. Acontece com Lesoto, que está dentro da África do Sul, e com o Vaticano, na Itália. O livro, que recebe esse nome, leva em si poemas que tratam desse lugar onde Marcelo Labes nasceu (Blumenau, ou o Vale do Itajaí, Santa Catarina inteira ou mesmo a região sul na sua porção europeia). O que relaciona esses lugares é o fato de haver neles um sentimento de pertencimento à Europa, mas ignorado pelos países de origem desses descendentes de imigrantes.

“O que ocorre por Blumenau de mais sintomático é a cidade carregar slogans como ‘Vale Europeu’, ‘Alemanha Sem Passaporte’, pretendendo vender para os turistas a ideia de que aqui se vive conforme padrões europeus, quando na verdade somos mais uma cidade brasileira que cresce sem projeto urbano, onde não se tem educação, saúde e saneamento básico de qualidade. Enfim, um lugar como qualquer outro dentro do Brasil”, destaca o autor.

Enclave foi lido primeiro por leitores muito especiais, que o autor trouxe para dentro do livro. A orelha traz o texto de Matheus Guménin Barreto, o prefácio de Caio Augusto Leite, o posfácio de Gustavo Matte e as ilustrações internas e da capa são do artista Sebastião G. Branco. O projeto gráfico é de Leonardo Mathias.

Marcelo Labes nasceu no Vale do Itajaí, mesorregião do estado brasileiro de Santa Catarina, colonizada no século XIX por imigrantes europeus (em sua grande maioria, vindos principalmente da Alemanha e da Itália). Cursou Letras e Ciências Sociais, e a pouco tempo deixou Blumenau/SC e mudou-se para a capital Florianópolis.

Sobre o propósito da obra, Marcelo cita: “O Gustavo Matte diz que vão ali dados enciclopédicos, o que só fui perceber depois. Minha tentativa - que parece ter sido bem-sucedida - foi trabalhar em poemas a desmistificação de uma imagem criada à base de muita propaganda, de muitos slogans ruins e, principalmente - e mais preocupante - da supressão de manifestações culturais que destoem do previsto num projeto de turismo de pelo menos 40 anos: de que nessa região vive-se de acordo com tradições europeias, que aqui bebe-se chope e dança-se com fantasia de imigrante no centro da cidade mesmo quando não estão todos olhando. Não sei ainda como definir o que ali vai, mas gosto de pensar que se trata de uma poesia que pensa sociologicamente um determinado (ou quase determinado) lugar a partir da experiência do olhar e de uma leitura crítica acerca do que se pode denominar tradição e o que se pode denominar aculturação forçada”.

Outro livro do autor, e o mais recente, é “Trapaça”, lançado no final de 2016 pela Oito e Meio. O livro foi produzido através de financiamento coletivo e alcançou mais leitores do que Labes imaginava que pudesse alcançar. “Trapaça” também é de poemas, reúne diversos temas e é bem distinto do atual. “Enclave” já está em pré-venda por R$ 38,00 em contato com o autor ou pelo site da editora (https://goo.gl/u6UkPV).

0 Comentários:

Postar um comentário

pesquisar

Nossos Parceiros