Home » , , , , » Projeto literário de incentivo à leitura é referência em Ponta Grossa - PR

Projeto literário de incentivo à leitura é referência em Ponta Grossa - PR

Por: J. B. Novare Em: 17/02/2017

O projeto “Pegaí - Leitura Grátis” é uma iniciativa não governamental e sem fins lucrativos, criado em julho de 2013 na cidade de Ponta Grossa, no estado do Paraná. É mantido por um grupo de mais de 70 voluntários, com o apoio de várias empresas e entidades dos mais diversos setores, todos apaixonados por leitura e que acreditam que os livros não podem ficar guardados nas estantes, privados de serem lidos.

Idealizado pelo professor universitário Idomar Augusto Cerutti, o principal objetivo do projeto é “incentivar o hábito da leitura”, recebendo a doação de livros usados e colocando-os à disposição de novos leitores em locais públicos espalhados pela cidade. A missão do “Pegaí - Leitura Grátis” é aproximar livros sem leitores de leitores sem livros. O grupo é formado por 15 pessoas, que cuida da administração, e mais de 75 voluntários entre jornalistas, advogados, publicitários, radialistas, produtores, escritores, alunos, donas de casa, bibliotecários, médicos, engenheiros, aposentados e professores, nas mais diversas tarefas, que emprestam sua expertise para ajudar a cumprir a missão do Projeto.
 
Os livros chegam às estantes por meio de doações e são separados pelos voluntários do Projeto, que carimbam, colocam etiquetas e classificam a faixa etária. Depois são disponibilizados nas estantes, onde a população pode pegar o título do seu gosto, levar para casa, ler e devolver nos Pontos de Coleta ao término da leitura. Não é necessário fazer cadastro, basta encontrar uma estante permanente e pegar a obra desejada.

O Projeto “Pegaí - Leitura Grátis” surgiu a partir da ideia do professor Idomar, que sempre achou que deveria ter um espaço democrático de troca de livros, uma espécie de estante onde os alunos poderiam deixar e pegar livros. Porém, não tinha tempo, ou pensava que não tinha tempo para implementar a ideia. Foi enquanto assistia a uma reportagem em um telejornal, que tudo ficou mais objetivo. “Eu assisti uma reportagem que mostrava um grupo de motoboys que tinham uma bicicloteca. Eles colocavam 200 livros numa caixa na traseira de uma bicicleta e levavam para a praça onde deixavam as pessoas pegarem. Pensei: se eles fazem, nós também podemos fazer! Projetei como deveria funcionar, testei o nome e comecei a angariar doações de livros entre amigos. Nesta hora as conexões foram muito importantes”, diz Idomar. “No dia 03 de julho de 2013 lançamos nosso primeiro evento, uma Pegada Cultural, com 300 livros, dentro de um supermercado parceiro do projeto. Foi sucesso total. A partir desse momento passamos a receber doações regulares e mais pessoas juntaram-se ao time”, concluiu ele.

Hoje são cerca de 22 estantes espalhadas pela cidade, em espaços públicos de grande circulação de pessoas. Duas dessas estantes estão em ambientes prisionais, que é o caso do Hospital de Livros, na Penitenciária Estadual de Ponta Grossa, ajudando na ressocialização dos apenados. Que receberam capacitação para reparar as obras danificadas e dando uma nova oportunidade para que mais pessoas tenham a chance de lê-las. De dentro das penitenciárias os detentos tem uma nova oportunidade onde poderão cumprir suas penas da melhor forma possível. Já que estão fazendo um trabalho útil para a sociedade, em um espaço que foge dos “padrões” dos ambientes prisionais.
Idomar Cerutti
Até janeiro deste ano já foram registrados mais de 85 mil livros, que receberam o carimbo Projeto. E esse número pode ser muito maior, pois diversas obras são doadas nas estantes e novos leitores chegam a pegá-las antes mesmo de serem registradas.

Para aqueles que desejam contribuir doando um livro, seja de qualquer região do Brasil ou do exterior, é só entrar em contato com os organizadores pelo e-mail contato@pegai.info ou preenchendo um formulário na página do Projeto na internet (www.pegai.info). O Pegaí aceita obras dos gêneros poesia, soneto, romance, crônicas, contos, ensaios, gibis, entre outros, indicados para crianças, jovens ou adultos. Já os livros de estudo, técnicos, religiosos, listas telefônicas, manuais, apostilas, revistas, dicionários, enciclopédias, não são aceitos pelo Projeto. Para saber mais sobre o Pegaí, basta acessar a página oficial www.pegai.info ou através dos perfis nas redes sociais: Facebook (https://www.facebook.com/ProjetoPegai/), Instagram (https://www.instagram.com/pegaileituragratis) e Youtube (https://www.youtube.com/user/projetopegai).

0 Comentários:

Postar um comentário

pesquisar

Nossos Parceiros

Publicidade/Livraria Parceira