Home » , , , , , » Biscoito preferido dos cariocas é referência em livro da tradutora e escritora Ana Beatriz Manier

Biscoito preferido dos cariocas é referência em livro da tradutora e escritora Ana Beatriz Manier

Por: J. B. Novare Em: 02/02/2017

“Ó, o Globo! A História de Um Biscoito” é uma obra recém-produzida por Ana Beatriz Manier, tradutora e escritora carioca, que conta a história do Biscoito Globo. O seu mais recente trabalho será lançado nesta sexta-feira (3) a partir das 18h (Brasília) na Livraria Travessa do Shopping Leblon (Avenida Afrânio de Melo Franco, 290, Leblon), na cidade do Rio de Janeiro.

O livro é um amontoado de informações e curiosidades, contadas de forma descontraída e bem humorada, sobre a fabricação, a divulgação e a política de vendas adotada pela empresa que produz os biscoitos. “Ó, o Globo” conta um pouco da história do biscoito, desde a vinda das famílias Ponce Morales e Fernandes da Espanha, até a mudança para São Paulo e depois para o Rio de Janeiro, onde ganharam sucesso.

A obra surgiu em meados de 2014, quando a autora começou o trabalho de biografias de marcas e produtos nesse projeto. A ideia veio de uma memória afetiva muito forte da autora: “Nasci em Niterói e sempre fui muito ao Rio de Janeiro de barcas. E nessa travessia, além da beleza da baía da Guanabara, tinha o Biscoito Globo como companheiro. Isso, para mim, era quase um ritual: barcas, paisagem, biscoito. Depois, aos seis anos, me mudei para o Rio Grande do Sul, voltando sempre nas férias escolares para visitar a família. Quando eu voltava, os pacotinhos de biscoito vendidos pelos ambulantes logo me diziam que eu estava em casa de novo. E isso se repetiu durante anos”, diz a autora.

Publicado recentemente pela Editora Valentina, “Ó, o Globo! A História de Um Biscoito” possui 192 páginas e está à venda nas grandes redes de livrarias brasileiras por R$ 39,90. Cariocas e não cariocas, fãs dos biscoitos Globo, já podem adquirir a obra e saborear a história de um dos petiscos mais populares do Rio de Janeiro.

Este não é o primeiro trabalho escrito pela autora. Ana Beatriz Manier já publicou o infantil “Astrobeijo”, pela editora Cubzac em 2011, contos e crônicas em blog e revistas eletrônicas (Autores S/A, Portal Cronocópios e Revista Samizdat), participou das antologias Poesia.com (Editora Multifoco) e Contos Mínimos (Editora Penalux). E lançará ainda este ano, outro livro infantil intitulado “Não Fosse Um Repolho”, e o romance “Mamma”, uma história de amor na terceira idade.

Ana Beatriz Manier é tradutora e escritora. Nasceu em Niterói, no estado do Rio de Janeiro e residiu por 7 anos em Pelotas, no Rio Grande do Sul. Depois, mudou-se para a serra fluminense. Hoje, divide sua vida profissional entre as cidades de Nova Friburgo e Rio de Janeiro. Além de autora e tradutora, Ana Beatriz Manier é formada em Administração de Empresas e Letras, com especialização em Língua Inglesa, Literaturas de Língua Portuguesa e Tradução. Trabalha desde 2001 como tradutora no mercado editorial e desde 2011 como escritora. Entre os seus principais trabalhos de traduções estão obras de autores como Robin Pilcher, Nora Roberts, Mary Rourke e Dee Shulman.

Sobre suas influências e inspiração, a autora revela: “Posso considerar dois autores nacionais como influências literárias para minha inspiração em escrever um livro como este. O primeiro deles, o autor Laurentino Gomes, pelos seus livros “1808” e “1822”. Em seguida, o biógrafo Ruy Castro, não somente por seu livro “O Anjo Pornográfico” e tantos outros, como por um breve curso que ele ministrou na Estação das Letras, escola de Literatura no Rio de Janeiro.”.

2 Comentários:

  1. Que delicia de reportagem! Obrigada, J.B. Novare!

    ResponderExcluir
  2. Nós é que agradecemos a honra, Ana Beatriz.
    Abraços e sucesso!

    ResponderExcluir

pesquisar

Nossos Parceiros

Publicidade/Livraria Parceira