Home » , , , , , , » Conheça a obra “Coleção de Epifanias”, do vice-cônsul Geral do Brasil em Faro, Cláudio Guimarães dos Santos

Conheça a obra “Coleção de Epifanias”, do vice-cônsul Geral do Brasil em Faro, Cláudio Guimarães dos Santos

Por: J. B. Novare Em: 08/09/2017

A obra “Coleção de Epifanias/Colección de Epifanías”, publicação bilíngue (português/espanhol) da Bohodón Ediciones (Madrid, Espanha), é uma coleção de poemas do autor brasileiro Cláudio Guimarães dos Santos, Vice-Cônsul do Consulado Geral do Brasil em Faro (Portugal). O livro possui 278 páginas está por 16 euros no site da editora (aqui).

O livro foi lançado na cidade de Faro (Portugal) em maio deste ano, no Auditório da Biblioteca “António Ramos Rosa”, sob a coordenação da professora Adriana Nogueira (Universidade do Algarve), e participações do poeta Manuel Moya (tradutor da obra para o espanhol), do Vice-Reitor da Universidade do Algarve, Pedro Ferré, do poeta e ensaísta Fernando Cabrita e do poeta e tradutor François Luis-Blanc.

“Este livro é mais um testemunho da minha longa e prazerosa odisseia, na qual precisei, entre outras coisas, desejar Ítaca como Ulisses, vestir as rugas do velho Fausto, aventurar-me como Peer Gynt, ouvir desertos que meditam no ocaso, recompor o meu espanto na água fresca das metáforas e nos azuis ensolarados das manhãs da minha infância”, cita Cláudio Guimarães dos Santos.

Cláudio Guimarães dos Santos nasceu em São Paulo, em 1960. É poeta, ensaísta, mestre em Artes pela Escola de Comunicações e Artes da USP e doutor em Linguística pela Université de Toulouse-Le Mirail. É diplomata de carreira desde 2010 e já serviu no Consulado-Geral em Frankfurt e na Embaixada em Montevidéu. Trabalha, atualmente, no Consulado-Geral em Faro, onde é Chefe do Setor Cultural e de Cooperação Educacional. Em 2014, publicou a coletânea de poemas “Definições Fundamentais”, com prefácio do Embaixador Rubens Ricupero, lançada em Montevidéu e em São Paulo.

Como artista plástico, participou, em São Paulo, de exposições no Museu de Arte Contemporânea, no Museu de Arte Moderna, na Pinacoteca do Estado e no Museu da Imagem e do Som. Como cineasta, escreveu e dirigiu “O Atentador”, longa-metragem em Super-8. Como médico, atuou na área do diagnóstico e do tratamento de disfunções cognitivas relacionadas à memória e à linguagem. Realizou investigações nos campos da neuropsicologia, da psicoterapia, da semiótica e da filosofia da mente, sempre com um enfoque transdisciplinar.

No Brasil, trabalhou no Instituto de Estudos Avançados/USP, na Faculdade de Medicina/USP e na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas/USP. No exterior, atuou como pesquisador e conferencista na França, nos Estados Unidos, no Canadá, no México e no Uruguai.

0 Comentários:

Postar um comentário

pesquisar

Nossos Parceiros